Saldo co carnaval: descobri o que eu amo e detesto no mundo das maquiagens!

  Carnaval chegou e sem nenhum alarde da minha parte ele veio e se foi. Eu até gosto da euforia dessa época, de ainda ver a alegria movendo famílias/amigos e dispersando pelas ruas das nossas cidades. Porém, a falta de educação e a violência tem me afastado cada vez mais desse tipo de festa que coloca muita gente na rua, no calor e com muita bebida/drogas disponíveis por aí.

  Mesmo com essa ponderação minha para o carnaval, eu tinha pensado em escrever algo sobre a época ou inspirado nesse fenômenos de alegria/fantasia/descontração. Eis que hoje assistindo o vídeo da maravilhosa Thays Lessa sobre maquiagem eu finalmente me toquei sobre o que mais me atrai e me afasta do mundo das maquiagens. A reflexão linda que a Thays traz me lembrou da foto que postei esses dias no Instagram falando sobre a beleza não doer, e trazendo minha experiência com a frase de que mulher para ficar bonita tem que sofrer. E por que não falar sobre maquiagem logo a pós a festa mais cara-pintada que eu conheço?
 Lá no Instagram eu trouxe essa reflexão por incentivo da Victória Ferreira que lançou a #belezaquenaodoi justamente para que compartilhássemos nossas historias com esse processo supostamente doloroso para as mulheres ficarem bonitas. E lá passei uma menagem sobre auto amor gerar auto cuidado. E como os instrumentos como maquiagem/depilação/alisamento de cabelo/dietas devem ser colaboradores desse nosso auto cuidado e não nossos dominadores. Porém, como geralmente apareço de cara limpa aonde quer que seja (fotos nas redes sociais, ou mesmo na rua por aí) eu fiquei preocupada em passar a impressão de que eu sou aversa a maquiagem, ou que não gosto delas para mim.
  O curioso nisso tudo é que eu realmente gosto de maquiagem, porém não a uso como geralmente vemos por aí. Eu sempre vivi afastada da maquiagem, por me sentir sempre confortável em sair com a minha cara mesmo, minha pele ferrada e minhas olheiras- de- família. Não é que eu me achasse linda e super de bem comigo mesma e com minhas espinhas, mas eu sofro de uma certa falta de paciência para essas coias e nunca foi cabível para mim acordar mais cedo que o normal pra ir pra escola/faculdade só para não sair com a cara que eu tenho naturalmente. Por isso, sempre priorizei sair "como vim ao mundo": menos trabalho, mais tempo dormindo e menos preocupação com estar feia ou bonita.
  Literalmente hoje, eu percebi que essa minha relação não tinha exatamente a ver com amor próprio, mas com eu me recusar a mostrar algo para as pessoas que eu não era. E olha: tá tudo bem se você ainda não se sente confortável para expor suas olheiras por aí como eu. Até por que eu não sou tão confiante assim também, muitas vezes eu nem me olho nos espelho, apenas vou. Então não posso te afirmar que isso é autoconfiança ou só desvalorização minha com essas questões. Mas, o que eu quero dizer aqui é que o que me afastou por anos do mundo das maquiagens era essa ideia de que a maquiagem é para esconder. Afinal, eu nunca me preocupei em me esconder! Podia até não querer ser o centro das atenções, mas me esconder não passava ela minha cabeça. Até porque eu sabia que se alguém gostasse de mim tinha que ser por quem eu sou de verdade e eu 90% o tempo estou de cara limpa mesmo.
Foto do carnaval de 2017- mais maquiadinha porque era aniversário da afilhada!
  Em contra partida, todas as vezes que me aproximei da maquiagem não era para me "esconder",  ou para vestir uma máscara social. Eu queria apenas me sentir bonita e aparecer de uma maneira diferente. Parece sútil a diferença e é: o que me faz amar o poder da maquiagem, hoje, é a capacidade dela nos fazer aparecer e não esconder! Saber que cada espinha/ olheira/ olho caído fazem parte de mim e não ter problemas em falar sobre isso e encarar essa realidade frente aos outros é o que me faz me negar vestir uma máscara todos os dias por qualquer padrão/pressão social. E, por sua vez, negar usar uma máscara é o que me possibilita explorar outras versões de mim. Por que eu sei que não desejo esconder nada, mas sim encarar uma outra face minha frente ao espelho.
  Por curiosidade, sobre a minha aproximação com maquiagem: os batons fortes viraram meus queridinhos rápido!- Mesmo que minha boca ocupe metade do meu rosto! Viu como inconscientemente me esconder nunca foi uma opção? haha E os batons são de longe meus produtos de maquiagem favoritos! Pois, eles me ajudaram silenciosamente a amar o traço mais marcante do meu rosto- que é a minha boca/meu sorriso. Me ajudaram expondo o quanto eu acabava me escondendo, quando tinha receio de usar maquiagem exatamente para "não chamar atenção de mais". Pois é, não usar maquiagem pode fazer a gente se esconder também, tanto quanto ao usá-la. E mesmo entendendo que nem todo o dia queremos ser vistos, fortalecer uma relação de confiança comigo mesma sempre foi prioridade. Eu nunca quis o peso de não conseguir me encarar nos olhos sejam eles pintados ou nus.
Única produção de carnaval de 2018, bem enfeitada e só de batom! Porque não sou obrigada a derreter por aí!
  Já nessa época do ano, o carnaval faz brotar em mim essa vontade de simplesmente me ver como uma outra Bárbara e sair por aí. Pode ser que eu saia chamando atenção por aí e nem perceba, por estar tão preocupada em me ver bonita de uma forma nunca vista antes. É esse mundo de possibilidades sobre mim mesma que me atrai, o contrário disso me afasta de qualquer conversa sobre o assunto. Por que me dói ouvir mulheres e até mesmo meninas tão novas com discursos que fortalecem a ideia de que "mulher sofre pra ficar bonita". Meu grito é: não deixemos mais essa ideia passar! Se acreditamos nela é porque acreditamos que naturalmente somos feias, quando isso não é verdade. E a beleza vem a medida que nos ferimos, quando na verdade é ao contrário! Ela só pode vir se nos cuidamos, se nos amamos! Se não for assim, são apenas máscaras que usamos para fingir ser quem não somos e agradar outro nos desagradando intimamente. Pense nisso!
   É claro que a feiura faz sim parte dos nossos dias e um conselho sincero: aceite isso também. É impossível se sentir radiante o tempo todo e não querer estar lindo a todo o momento faz um bem danado. Nos faz valorizar mais nossas outras qualidades também. Então, não podemos mais aceitar usar a maquiagem como artifício para nos encolher diante de uma outra versão nossa, mas sim para engrandecermos com ela. Não nos escondamos, mas criemos coragem para aparecermos mais! Abraçar nossas partes feias, faz parte. Elas não nos ferem, só nos compõe. Exatamente como aos dias ruins compõe uma vida boa. E nem sei dizer se as coisas boas vivem sem as ruins, elas estão sempre tão juntas. Mas, acredito que é a mudança do nosso olhar que faz com que nos debatamos menos quando nos deparamos com algo que nos desagrada. Um dia de rainha, um dia de plebeia e tudo bem também. :)
  Com isso, fica meu desejo de que nossas mulheres e meninas possam se sentir mais a vontade consigo mesmas para se olharem e cuidarem como quiserem, como realmente se sentem bem e saudáveis! Eu sei que a maquiagem tem mil e uma finalidades como correção/realce/criação, mas meu desejo é para que não queiramos mais esconder quem somos. Mas, sim tenhamos mais confiança e alegria em nos amar em nossas diferentes formas e faces.
  Por fim, que o mundo tenha mais maquiagens e mais liberdade para pintarmos quem quisermos ser, sem haver pesar ao nos encararmos no espelho quando a pintura for embora.

***
Não me canso de me encantar por mulheres inspiradores arte a adentro, internet e mundo a fora. Mulheres vocês são incríveis! Nós somos incríveis! Estou falando isso por que a Thays e a Vic (intimidade, né? haha) me lembram sempre desse poder que há em nós e que sim está manifestado em cada uma de nos por aí. Por isso, não hesitemos em sermos incríveis!  Não existe ninguém melhor do que ninguém, caminhamos todos uns ao lado dos outros: homens e mulheres, homens e homens, mulheres e mulheres. Só nós podemos transpor os limites que colocamos em nós mesmos e descobrir como sermos sempre melhores! Por isso, fica meu apelo: sejamos cada vez melhores! Esse desabafo é para que a gente não se submeta nunca sermos menores do que nascemos para ser! Que nada nos limite, nos aprisione, nos incapacite. Juntos somos mais fortes!
Todas nós!

Comentários

  1. Adorei o post!

    O Blog da Fênix agora é Cobaia Amiga! Para comemorar a mudança estou sorteando um presentinho para uma leitora lá no blog: http://www.cobaiaamiga.com/2018/01/sorteio-kit-cabelos.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita! Que legal que mudou de nome! Sempre bom dar uma renovada, né?
      Volte sempre!
      Beijos

      Excluir
  2. Esse lance de que beleza tem que ser algo que vai te fazer sofrer e mudar quem você é pra alcançar é muito problemático, né? Esse pensamento é a causa de tantos problemas que a gente vê hoje por aí. É a causa do sofrimento de tanta gente, né? Acho que é importante pra a gente, sobretudo nós mulheres que temos esse espacinho na internet, ajudar a quebrar esse padrão de beleza e ser um ponto de transformação. Espero que esse texto faça com que muita gente tenha um momento de reflexão sobre isso. Não tem nada errado em sair de cara limpa por aí, não tem nada errado em ser quem você realmente é e aceitar cada parte de você. E se o desejo de mudança vier, que seja para o nosso mais íntimo agrado e não pra se sentir aceito por algo ou alguém.

    Um beijo!
    Hey, Maria! | Fanpage

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Ray! A internet tem sido um espaço bem interessante para essas pautas que nos unem e nos ajudam a recuperar nossa auto estima e nossa força interior. Se uma atitude n]ao for para nosso próprio bem, então não vale de nada!
      Seja sempre bem-vinda, aqui!
      Beijos

      Excluir
  3. Que post massa!

    Eu adoro maquiagem, mas prefiro dormir mais do que acordar cedo e passar maquiagem para trabalhar cedo. hahaha. Gosto de me ver maquiada, mas gosto de reconhecer meus traços, minhas imperfeições... GOSTO do meu rosto. Gosto do meu corpo, das minhas gorduras em lugares que eu não queria, do joelho meio torto...

    Também não gosto dessa idéia de que pra ficar bonita tem que sofrer, porque afinal, o que é ficar bonita? É tão relativo. O que eu acho bonito, você pode achar feio e vice-versa. O que precisamos é nos cuidar e nos enxergar como somos, lindas a nossa maneira. Eu sou linda, você é linda, todas somos lindas!

    É meio preocupante como o mercado da beleza tenta vender muitas vezes a conversa de que somos feias e por isso precisamos dos seus produtos/tratamentos, mas na verdade nós temos que querer aquilo e não sentir necessidade.

    Muito importante o que você disse sobre não gostar da idéia da maquiagem para esconder imperfeições... E sim para realçar o que você tem de melhor!

    Parabéns por esse post MARAVILHOSO!

    Beijo grande!
    Aline

    http://inventandoassunto.com

    ResponderExcluir
  4. Que saudade de visitar seu blog, que saudade de ti!
    Menina, fiquei sem computador já 2 vezes esses mês por causa dos raios que caíram por aqui. Então acabei me atrasando com o trabalho e tive que dar um tempinho pro blog. Hoje que soltei um post e agora que vim lhe visitar, percebo a coincidência dos assuntos que tratamos.
    Eu falei sobre me esconder, fiz isso a vida toda. E lendo o seu texto me sinto ainda mais confiante em me aceitar e ser "eu" de verdade.
    Tem uma frase que tu disse e eu amei tanto: "Abraçar nossas partes feias, faz parte. Elas não nos ferem, só nos compõe. Exatamente como os dias ruins compõe uma vida boa."
    Isso é tão real, tão verdadeiro! <3
    Eu sou tão grata por ter a oportunidade de conhecer teu blog, de ler teus textos que me fazem pensar nos meus atos, que me ajudam a enxergar tudo de um jeito diferente. Não canso de ser grata por tudo isso. Muito obrigada, eu realmente precisava ter lido tudo o que escreveu.

    ResponderExcluir

Postar um comentário